Foi, falou e disse

Amor em Vancouver – Por Bruna Azevedo.

O Artur e eu nos conhecemos em janeiro/2009 numa viagem com a CP4 para Cambridge, Inglaterra. Estamos juntos desde então. Em julho/2010 a mãe dele sugeriu fazer uma viagem de um mês com toda a família. Eu havia estudado em Vancouver quatro anos antes (não com um grupo, mas sozinha, também pela CP4 e sempre falava super bem da cidade – é a minha favorita. A família dele foi até a CP4 e acabou se decidindo por Vancouver e me chamou para viajar também. Foi maravilhoso revisitar “Van”, como se diz por lá!

Nós dois alugamos um apartamento em North Vancouver, a 10min de Vancouver pelo Sea Bus. Ficamos a apenas 3 quarteirões da família dele, o que também foi ótimo. Na escola, tínhamos colegas de várias partes do mundo (Itália, Suíça, Alemanha, Coreia do Sul, Japão, Arábia Saudita etc., com destaque para os estudantes asiáticos, que vivem em grande número na cidade), possibilitando-nos praticar o inglês com pessoas de diferentes sotaques e saber mais sobre suas culturas. Como fomos no verão, só o primeiro dia esteve nublado e em todos os outros tivemos muito sol e calor. Anoitecia às 22h, por isso passeávamos até tarde sem nem ver o tempo passar…

Nós visitamos um lugar diferente todos os dias depois das aulas e, mesmo tendo quatro semanas lá, quase não conseguimos fazer tudo o que queríamos. Harbour Centre Tower (torre de onde se vê Vancouver em 360º), Science World (museu interativo de ciências), Gastown (bairro com várias lojas de souvenirs), English Bay (uma das praias de Van), futebol canadense, que é um pouco diferente do americano; piquenique e passeio de bicicleta no Stanley Park (maravilhoso!!!), Vancouver Aquarium, Lynn Valley, Chinatown, Granville Island, e aquelas ruas cheias de cafés, shopping malls e lojas muito boas de Downtown e também as três montanhas – Cypress Mountain, Grouse Mountain e Mount Seymour. Fomos à Grouse Mountain: pode-se subir de gôndola, mas nós dois subimos os 2,6km de escadas de madeira e pedras a pé – e, mesmo com o cansaço, adoramos. Do topo se tem uma vista incrível de Vancouver e lá existem várias opções de atividades, como teatros humorísticos, lobos (na base da montanha) e ursos (no topo), antes ameaçados, que hoje ficam em uma área reservada e são vistos pelos turistas; show de pássaros, gôndolas, moinho ainda mais alto onde também se pode subir, e até tirolesa. Também visitamos a host family com quem eu passei dois meses em 2006 – as crianças haviam crescido muito e continuavam super simpáticas e divertidas! Tudo facilitado pelo transporte público, que oferece uma excelente integração entre os diversos lugares da cidade.

Outro ponto que notamos é que Vancouver oferece condições e adaptações efetivas, comuns na cidade toda, para pessoas que possuam necessidades especiais poderem transitar livremente pelas ruas e edifícios, tais como sinal de pedestres também com som; rampas, elevadores (funcionando) e portas que se abrem por botões nos locais públicos (como Skytrain) e em quase todos os prédios; ônibus baixos e facilmente adaptáveis…

Quem vai a Vancouver também deve aproveitar os fins de semana para visitar duas cidades próximas:

– Victoria é a capital do Estado de British Columbia, cidade pequena de clima tranquilo onde se encontram museu de cera, aquário submerso no mar, o Royal BC Museum (enorme, com animais empalhados, exposições sobre índios canadenses e cenários perfeitos da vida europeia de diferentes épocas), cinema do National Geographic, o Parlamento, o “balé das balsas” (balsas turísticas dançam sincronizadamente ao som do Danúbio Azul no Inner Harbour, todos os domingos de verão), entre outras atrações turísticas.

– E Whistler é uma pequena vila muito charmosa a cerca de três horas de Vancouver, onde existe uma renomada estação de esqui que foi um dos palcos das Olimpíadas de Inverno de Vancouver/2010. Como fomos no verão, a montanha era terreno para mountain biking. O Artur fez a experiência e curtiu bastante! Já eu subi a montanha com a família dele, em gôndolas, uma delas sendo a mais alta do mundo, com 436m. Das gôndolas menores nós vimos cinco ursos negros, dois deles filhotes. E foi interessante ver que no topo, apesar do calor (mais de 30ºC), ainda havia muita neve. Paisagem deslumbrante!

O Canadá é maravilhoso, rico em opções turísticas e em diversidade cultural; possui cidades incríveis e uma população muito simpática. Passar um mês juntos naquele país foi uma experiência inesquecível e já estamos esperando a próxima. 😉

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s